sc

SE VOCÊ ESTÁ VENDO ISSO, O SEU CLIENTE TAMBÉM VÊ... ANUNCIE AQUI!
iniciar        parar

20 de setembro de 2014

Operação Lava Jato: Verri, Barros e Andreotti receberam doações de empresas investigadas

By RIGON | SETEMBRO 20, 2014 11:54

São de Maringá três dos doze candidatos paranaenses que receberam dinheiro para campanha eleitoral de empresas envolvidas no esquema de lavagem que teria desviado R$ 10 bilhões (objeto da Operação Lava Jato, aquela que envolveu Alberto Yousseff e Paulo Roberto Costa). São eles Ricardo Barros (PP), Enio Verri (PT), candidatos a deputado federal, e Marco Andreotti (PP), candidato a estadual. Também Cyllêneo Pereira, o Cileninho (PP), ex-prefeito de Mandaguari, está na lista. De acordo com levantamento publicado na Gazeta do Povo de hoje, pelo menos sete das empresas investigadas na Operação Lava Jato doaram R$ 122,3 milhões aos diretórios nacionais de vários partidos que, posteriormente, repassaram parte dos recursos para os candidatos em todo o país. Leia mais.


No estado

No Paraná, quatro candidatos a deputado federal – três deles disputando a reeleição – e oito candidatos a deputado estadual receberam pouco mais de R$ 1 milhão de três empresas. O dinheiro chegou por meio dos diretórios nacionais do PP e do PT e foi redistribuído entre candidatos dos dois partidos, além de um candidato do Pros e outro do PSC.

De acordo com o TSE, o PP direcionou a candidatos no estado, entre outras, doa­ções de R$ 880 mil oriundas da Galvão Engenharia e de R$ 100 mil da Queiroz Galvão Alimentos, do mesmo grupo da construtora Queiroz Galvão, esta última citada na investigação. O maior beneficiado foi o presidente estadual do partido, deputado Nelson Meurer, que recebeu R$ 250 mil. Na sequência vêm os deputados Ricardo Barros (R$ 180 mil) e Dilceu Sperafico (R$ 150 mil). Os três são candidatos à reeleição para a Câmara Federal.

O ex-prefeito de Man­daguari Cyllêneo Pereira Jr., o Cileninho, foi beneficiado com R$ 100 mil. Ainda pelo PP, receberam da Galvão Engenharia os candidatos Marco Andreotti, de Maringá (R$ 60 mil); José Ronaldo Ferreira, o Ronaldão do Povo, de Irati (R$ 50 mil); Rubens Franzin, o Rubão, vereador em Arapongas (R$ 40 mil); Sérgio Baroncini, de Ponta Grossa (R$ 25 mil); e Tito Santini, de Prudentópolis (R$ 25 mil).

Já a doação de R$ 100 mil da Queiroz Galvão foi direcionada integralmente para o maringaense Ricardo Barros. Tesoureiro nacional do PP e ex-secretário de Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul do governo Beto Richa (PSDB), Barros repassou parte do dinheiro para candidatos de outros dois partidos: R$ 50 mil para o vereador de Curitiba Tico Kuzma (Pros) e R$ 20 mil para o ex-presidente do Instituto das Águas do Paraná, autarquia vinculada à Secretaria Estadual de Meio Ambiente, Márcio Nunes (PSC), ambos candidatos a deputado estadual.

Já o deputado estadual Ênio Verri (PT), candidato a uma vaga na Câmara Federal, recebeu R$ 95 mil da empreiteira Andrade Gutierrez, também citada na investigação. A doação veio por meio do diretório estadual do PT.

☺É... UMA HORA A CASA CAI ...

Postar um comentário