7 de setembro de 2017

Memória: Deputados inimigos da educação no Paraná

No dia 10 de fevereiro de 2015 foi votado na Assembleia Legislativa do Paraná o requerimento que transformava o plenário da Assembleia em Comissão Geral, para votar os dois projetos do pacote de maldades do governador Carlos Alberto Richa (Beto apenas para os íntimos) contra os professores e contra todos os funcionários públicos do Paraná. Nesta votação os deputados se posicionaram, mesmo sendo impedidos de votar os dois projetos. O impedimento ocorreu pela brava resistência dos servidores públicos. Dois dias depois, num palco de guerra, com cães adestrados, tropa de choque, cassetetes e bombas de todos tipos, Davi venceu Golias, ao menos momentaneamente. Mas vamos ver como se posicionaram os deputados. Vou usar a expressão cunhada na manifestação. Os inimigos e os amigos dos professores.

Eis os 35 inimigos dos professores e em consequência da educação pública, onde estudam os filhos dos trabalhadores e das gentes menos favorecidas economicamente. Eis a relação dos genuflexos e dobradiços deputados e os seus respectivos partidos.

Alexandre Cury - PMDB;
Alexandre Guimarães - PSC;
André Bueno - PDT;
Artagão Júnior - PMDB;
Bernardo Ribas Carli - PSDB;
"Cantora" Mara Lima - PSDB; (ATENÇÃO PROFESSORES, ELA VAI ESTAR CANTANDO NUMA IGREJA EVANGELICA NA RUA JAÇANÃ, NESTA QUINTA)
Cláudia Pereira - PSC;
Cobra Repórter - PSC;
Cristina Silvestri - PSC, conforme a Gazeta do Povo, mas na realidade é do PPS;
Dr. Batista - PMN;
Élio Rush - DEM;
Evandro Júnior - PSDB;
Felipe Franceschini - SD;
Fernando Scanavaca - PDT;
Francisco Bührer - PSDB;
Gilson de Souza - PSC;
Guto Silva - PSC;
Hussein Bakri - PSC;
Jonas Guimarães - PMDB;
Luiz Carlos Martins - PSD;
Luiz Cláudio Romanelli - PMDB;
Márcio Nunes - PSC;
Maria Victória - PP;
Mauro Moraes - PSDB;
"Missionário" Ricardo Arruda - PSC;
Nelson Justus - DEM;
Palozi - PSC;
Paulo Litro - PSDB;
Pedro Lupion - DEM;
Plauto Miró - DEM;
Schiavinato - PP;
Tiago Amaral - PSB;
Tião Medeiros - PTB;
Wilmar Reichenbach - PSC;

Ademar Traiano - PSDB. Este não votou mas foi o comandante em chefe da tropa.

Uma observação: Todos os deputados do PSDB e do DEM, votaram contra o funcionalismo público. São os partidos que comandam a sanha neoliberal. Os deputados do PDT, André Bueno e Scanavaca são duplamente traidores, pois se elegeram pela oposição, na coligação com o PT (Pobre Umuarama). Nelson Justus é um deputado muito afamado. A Gazeta do Povo que o diga. Destaque também para os dois inimigos que capitanearam o processo. Ademar Traiano e Luiz Cláudio Romaneli. Cada vez que eu vejo o Romaneli eu me pergunto: "É isso um homem"? Foi o único a defender a proposta. Os outros todos ficaram mudos, mudos. Da maior bancada, a do PSC, comandada pelo Ratinho Júnior, apenas dois não se dobraram ao capitão do time. O resto abraçou o secretário do governador. O Ratinho começou bem a sua campanha para prefeito ou governador. Arrumou inimigos... mas ser secretário deve ser bom demais... Ele disse que eles estavamliberados para votar como quisessem. (Fonte: Blog do Pedro Eloi)

Nenhum comentário: