30 de abril de 2014

Dilma coloca culpa de prejuízo da Petrobras em um funcionário

A presidente Dilma Rousseff e seus aliados parecem ter eleito os culpados para o insucesso do governo e o recente derretimento nas pesquisas: a "mídia", a oposição, os médicos brasileiros (!) e um único funcionário da Petrobras. 

No jantar que ofereceu anteontem a jornalistas esportivos, a presidente Dilma Rousseff afirma as seguintes impropriedades: Toda a crise que mancha a reputação da Petrobras seria responsabilidade de um único funcionário.

Fica então para o eleitor definir quem seria esse funcionário: o ex-diretor Nestor Cerveró, que assinou o "parecer falho" que levou a compra bilionária e prejudicial da refinaria de Pasadena, o ex-presidente da Estatal, José Sérgio Gabrielli, ou ela própria, como ex-presidente do conselho e presidente da República, que tem comandado uma política ruinosa resultando na perda de metade do valor de mercado da empresa.

Em uma declaração de enorme desrespeito com os médicos brasileiros, a presidente Dilma disse que "o padrão de atendimento dos cubanos é melhor que o nosso" referindo-se ao tratamento inicial oferecido aos pacientes pelos médicos brasileiros nos serviços públicos de saúde.

De acordo com ela, os médicos do país do Caribe, que participam do programa Mais Médicos, oferecem aos pacientes brasileiros um tratamento mais "humano". Os cerca de 400 mil médicos brasileiros e suas famílias irão se lembrar da declaração.

De acordo com a presidente, na entrevista, a inflação no Brasil não é impulsionada pelos gastos públicos, como críticos do governo costumam dizer. Para Dilma, é o "choque da oferta de alimentos", sob forte influência das variações climáticas, o principal responsável pela alta de preços. Convenientemente, a presidente se esqueceu de dizer que a inflação de serviços, que atinge diretamente a população, está em 9,5% de acordo com o IBGE, muito além do teto da meta de inflação, de 6,5%.

De acordo com o ministro das Relações Institucionais, Ricardo Berzoini, o que prejudica a avaliação de Dilma é a "pancadaria" na imprensa, segundo disse em entrevista à Agência Reuters.
Nota-se então, que ninguém admite equívocos. O governo mesmo, fora o "funcionário da Petrobras", parece estar imune a erros.

Não, presidente e aliados, não é culpa da mídia, da oposição, ou mesmo do tal funcionário. Quem descobriu que o governo está ruim, e por si própria, foi a sociedade. (Facebook)

Nenhum comentário: