11 de julho de 2015

Famoso astrofísico não vê evidências da existência de Deus, mas o compara a um genocida

Famoso astrofísico não vê evidências da existência de Deus, mas o compara a um genocida
Enquanto para uns o avanço da ciência e as descobertas em pesquisas apontam para a existência de Deus, para outros, os mesmos avanços afastam a possibilidade de que um ser divino e todo-poderoso possa existir. O astrofísico Neil deGrasse Tyson se encaixa no segundo grupo.

Em entrevista concedida à revista Veja por ocasião do lançamento de seu livro, “Origens”, no Brasil, Tyson afirmou que não vê “evidências da existência de Deus”, e destacou que se existe um, ele “é muito bom em matança”.

Questionado sobre o porquê a ciência se coloca de forma tão arredia às religiões, Tyson afirmou, de forma indireta, que a crença no sobrenatural é algo primitivo e ignorante: “A religião de cada um tira conclusões precipitadas sobre o funcionamento do universo. A ciência, no entanto, realiza medições capazes de mostrar que essas impressões são falsas. Até hoje as pessoas dizem ‘God bless you’ (Deus te abençoe, em inglês) quando alguém espirra. Por quê? No passado, acreditava-se, para valer, que, quando isso ocorria, a alma saía do corpo e deixava a pessoa vulnerável a demônios. Um religioso pode ver o mundo dessa maneira. A ciência verifica que há bactérias que causaram o espirro, e ponto. Um religioso pode aceitar as descobertas e passar a usar passagens de suas escrituras, a exemplo da Bíblia, como metáfora, fonte de inspiração. Ou entrar em conflito conosco. Há muitos, contudo, que souberam separar os tópicos, ver a religião como motivação moral, e a ciência como a forma de realmente explicar a natureza. Exemplo contemporâneo é o geneticista Francis Collins, cristão e um dos intelectuais mais respeitados da atualidade. Ele tira sua base moral da Bíblia, mas jamais responderá a uma pergunta sobre a origem do universo dizendo ‘vamos verificar no Gênesis’”, argumentou.

Durante a entrevista, Tyson repetiu o argumento muito comum a ateus de que, se Deus existe, é omisso, pois acontecem coisas ruins a pessoas inocentes, ignorando que as infelicidades sempre são consequências das atitudes de outras pessoas, e não de uma iniciativa mal-humorada de Deus.

“[Se Ele existe] podemos dizer que Deus deixa pessoas inocentes serem atropeladas na rua. Ele permite, portanto, que uma criança morra de leucemia. Ou ainda faz vista grossa diante de furacões e vulcões que matam milhões, incluindo jovens e humanitários. Para acreditar em Deus, é preciso levar tudo em conta. Se Ele está por trás de tudo, é muito bom em matanças. Afinal, mais de 99,9% das espécies de seres vivos que passaram pela Terra foram extintas. Isso é o acaso da natureza? Ou é Deus? Seja qual for a resposta escolhida, é preciso assumi-la tanto para o lado belo como para o terrível”, pontuou o astrofísico. (Gospelmais.com)

Nenhum comentário: