30 de dezembro de 2015

Bolsa Família já consumiu R$ 221,7 bilhões de reais e população carente segue na mesma

Nos últimos 15 anos, R$ 221,7 bilhões foram destinados o Bolsa Família. Aquele programa que deveria servir a quem realmente precisa, mas que virou 'compra de votos institucionalizada'.

Contudo, mesmo com tanta grana, a população carente, segue na mesma.

A recessão derrubou parte da nova classe média, a população da classe C, para a base da pirâmide social. Entre 2006 e 2012, no boom do consumo, 3,3 milhões de famílias subiram um degrau, das classes D/E para a classe C, segundo um estudo da Tendências Consultoria Integrada. Eles começaram a ter acesso a produtos e serviços que antes não cabiam no seu bolso, como plano de saúde, ensino superior e carro zero. Agora, afetadas pelo aumento do desemprego e da inflação, essas famílias começam a fazer o caminho de volta.

De 2015 a 2017, 3,1 milhões de famílias da classe C, ou cerca de 10 milhões de pessoas, devem cair e engordar a classe D/E, aponta o estudo. “A mobilidade que houve em sete anos (de 2006 a 2012) deve ser praticamente anulada em três (de 2015 a 2017). Estamos vivendo, infelizmente, o advento da ex-nova classe C”, diz o economista Adriano Pitoli, sócio da consultoria e responsável pelo estudo.

Os recursos para o Bolsa Família, fazem parte do grupo de natureza de despesa, identificado pelo dígito “2”, no qual são orçados o adimplemento de juros, comissões, dívida pública mobiliária e despesas com operações de crédito internas e externas. O montante representa 10% da previsão de gastos para 2015. Até o momento, R$ 169 milhões já foram desembolsados para esse intuito.



O Bolsa Família ainda perde para os juros da dívida interna que já passam de R$ 277,3 bilhões. A dívida publica ou 'dívida interna, já passa de R$ 2,6 trilhões de reais. (Com informações do Contas Abertas)

Nenhum comentário: