SEJA BEM VINDO!
iniciar        parar

1 de maio de 2016

Servidor que paga sindicato ajuda a CUT que apoia o PT... O Brasil ja tem mais de 11 milhões de desempregados

*Esta carta do SISMUS não é o meu pensamento e não concordo com ela... Golpe é tudo o que o PT e seus aliados fizeram com este país. Golpe é dizer que o Temer é sujo para ser presidente mesmo tendo ele como vice (se sabiam porque aceitaram?). Golpe é mandar dinheiro para fora do país enquanto os brasileiros sofrem com uma saúde falida, Golpe é ter mais de 11 milhões de brasileiros desempregados. GOLPE é usar o dinheiro dos filiados para financiar cartas como essa favoráveis ao PT, financiar carro de som apoiando as ações do PT, defendendo Dilma e Lula como eu vi na feira. 

Amanha estarei me desfiliando do sindicato e peço aos meus amigos servidores que não querem financiar a CUT que apoia o PT e o MST. EU NÃO CONTRIBUO COM O PT, NEM COM A CUT E MUITO MENOS COM O MST.

Aqui a carta do SISMUS apoiando o Desgoverno de Dilma.

CARTA DA DIREÇÃO DO SISMUS AOS SERVIDORES MUNICIPAIS

1° de Maio é de luta: contra o golpe, em defesa da democracia e dos direitos dos trabalhadores!

Estamos diante de um momento grave e decisivo da História do nosso país, o uso indevido do recurso do impeachment para tentar afastar sem qualquer fundamento jurídico uma presidente eleita por 54 milhões de votos é um golpe político com objetivos claros: reconduzir a classe empresarial ao comando do Estado Brasileiro.
Os parlamentares que atentam contra a democracia são os mesmos que atacam o cidadão brasileiro com projetos que podem fazer nosso país retroceder décadas em relação aos direitos humanos, sociais e trabalhistas.
Não temos dúvidas de que se o golpe se concretizar, os direitos e conquistas dos servidores municipais de Sarandi e do Brasil estarão ameaçados, como a exemplo do PLC 257/16 que amplia terceirizações e privatizações e permite arrocho contra servidores.
É fundamental que os servidores públicos municipais entendam que a luta contra esses retrocessos esta diretamente ligada a luta contra o golpe.
Se esses golpistas, que já agem escancaradamente contra os trabalhadores, assumirem o comando do país, a correlação de forças para garantir nossos direitos será muito mais difícil.
O que estamos vivendo é a disputa para impor um projeto de governo ao país, contra o interesse da maioria do povo brasileiro e em especial contra os interesses dos trabalhadores do serviço público e privado. 
A categoria dos servidores municipais não pode vacilar sobre qual posição “ocupa” nesta batalha. Nós trabalhadores temos que enfrentar os golpistas, seja em nossa cidade ou no cenário político nacional, o que eles querem é impor uma agenda pró-empresários e acabar com qualquer alternativa de resistência e luta por parte dos trabalhadores.
Veja como o Plano Temer; uma Ponte para o “Futuro” é uma verdadeira ameaça ao povo:

Acabar com os direitos trabalhistas - Temer, o PMDB e os partidos que apoiam o golpe prometem no documento: “na área trabalhista, permitir que as convenções coletivas prevaleçam sob as normas legais”. O resultado, disso, será a terceirização escancarada e o fim da CLT e dos direitos trabalhistas, como férias, 13°salário, licença maternidade e outros.
Achatar os aposentados - O plano prevê as suspensões das indexações, entre elas (e principalmente), a da previdência ao salário. Na prática, isto significa que se o salário mínimo for corrigido, e o governo de plantão não quiser - ou alegar que não pode - não precisará corrigir as aposentadorias.
Isto significa que, ao longo do tempo, os (as) aposentados (as) vão ganhar cada vez menos, mesmo tendo contribuído a vida inteira. 
Tirar do Estado a obrigação de cuidar da educação e saúde pública – Hoje, o governo é obrigado a repassar percentuais específicos do seu orçamento para as áreas públicas de saúde, educação e tecnologia. Com o fim da vinculação, como promete o Plano Temer, esta obrigatoriedade acaba. E se hoje, a maioria dos Estados e municípios já não cumprem a lei do Piso do magistério, com o” plano de governo pós Dilma” é que isto não ocorrerá mesmo.
Privatizar o que ainda não foi privatizado – Está lá, com todas as letras, que o Estado irá “executar uma política de desenvolvimento centrada na iniciativa privada, por meio de transferências de ativo que se fizerem necessárias, concessões amplas em todas as áreas de logística e infraestrutura, parcerias para complementar a oferta de serviços públicos”. Não tem como este texto deixar dúvidas, a ordem será privatizar, como aconteceu com a Vale do Rio Doce, com a Eletrobrás e vários bancos estatais. Até hoje, estas privatizações são lembradas por suas negociações nebulosas.
Fonte: Boletim Informativo da Frente Brasil Popular/Março/Abril 2016

Fazemos, portanto, um chamado a todos os Servidores que saiam as ruas e se mobilizem nas redes sociais para derrotar esse golpe que não é somente contra um governo legitimamente eleito. O golpe é contra nós trabalhadores!

Ato 1° de maio na Praça dos Pioneiros, a partir das 9 horas, com panfletagem e carro de som.

Contra o golpe e em defesa da democracia.

Por mais concursos públicos.

Por reajuste real dos salários.

Em defesa da lei do Piso, pelos 33% de hora atividade e pela revisão do Plano de Carreira do Magistério

Pelo Vale-alimentação de R$150,00

Pela imediata regularização das perícias de insalubridade e periculosidade.

Pela redução dos cargos comissionados e funções gratificadas

Pela revisão do Plano de Carreira dos servidores gerais, Guarda Municipal e saúde.

Participe deste ato, primeiro de maio é o dia internacional de luta dos trabalhadores!
Informações:

Nilson – 9991-1851/ Alba – 9815-5294 / Sindicato SISMUS – 3264-4366. Facebook - SISMUS, Sarandi PR / BLOG - sismussarandi.blogspot.com.br
Postar um comentário