3 de fevereiro de 2015

Oposição quer CPI para investigar rombo de R$ 1,2 bilhão no caixa do Paraná

A bancada de oposição na Assembleia Legislativa do Paraná quer instaurar uma CPI para investigar o rombo no caixa do governo do estado, que passa de 1,2 bi de reais. Nesta segunda-feira (2), primeiro dia de trabalho dos deputados eleitos no Paraná para os próximos quatro anos, a crise financeira do estado foi o principal assunto. Os deputados aguardam a chegada de um novo pacote do executivo com medidas de austeridade para tentar conter gastos. Segundo o líder da oposição na Casa, deputado Tadeu Veneri (PT), é preciso investigar se a crise foi causada pela má gestão do dinheiro público.

O líder do governo na Casa, deputado Luiz Claudio Romanelli (PMDB) questiona a relevância de uma Comissão para investigar as contas do governo e atribui a dificuldade de caixa ao governo federal.

No entanto, o líder da base governista admite também que parte da dificuldade financeira acontece porque o governo gastou muito em contratações, sem se prevenir contra a crise que o país vive atualmente.

Já o secretário da Casa Civil, Eduardo Sciarra (PSD), aponta a crise nacional e o atraso na arrecadação de impostos estaduais como um dos motivos para o desequilíbrio de caixa.

Mesmo com as explicações, o líder da oposição, Tadeu Veneri (PT), defende o início de uma CPI. O parlamentar considera que a crise nacional não é desculpa para justificar a dívida paranaense.

Para que a CPI seja instaurada, é preciso que 18 parlamentares assinem a petição. No entanto, a ampla maioria dos deputados paranaenses é da base governista: a oposição conta com menos de 10 parlamentares na Casa. Caso o número mínimo de assinaturas não seja atendido, a proposta pode ir para votação em plenário. O requerimento deve ser oficialmente apresentado na sessão desta terça-feira (03).

☺Não é atoa que o estado está quebrado, sem crédito... falido!

Nenhum comentário: